A grandiosidade da natureza contribui muito para a existência de várias lendas de Torres. Não é à toa que os pontos turísticos mais visitados são cheios de histórias místicas que mexem com o imaginário da população há anos.


São contos passados de geração em geração por relatos que despertam ainda mais o interesse pelos mistérios! Duendes, sereias, altar de sacrifícios e canibalismo — lendas e mistérios que fazem parte de Torres, uma das praias mais belas do sul do País. Portanto, nada mais interessante do que aproveitar o clima de mistério do Halloween para saber mais sobre essas histórias!
Antes da colonização, Torres era habitada por índios da etnia carijó. Eles ocupavam toda a área litorânea entre o Paraná e o Rio Grande do Sul. De acordo com relatos dos jesuítas, tinham por hábito fazer banquetes com os corpos dos prisioneiros, entre eles os primeiros europeus que chegavam à região.
Esta tribo acreditava na absorção das qualidades e dons das pessoas que fossem sacrificadas e ingeridas como alimento, segundo relatos do jornalista e historiador Nelson Adams, que se dedica a estudar o passado de Torres e que esteve recentemente em um ciclo de palestras sobre a história do Município no início deste ano!

De acordo com Adams, o fato de o canibalismo realmente ter acontecido na cultura dos carijós, em Torres, contribuiu para a lenda.
Algumas pessoas acreditam que a Pedra da Guarita, entre o Morro das Furnas e a Pedra da Itapeva, era usada como antigo altar para sacrifícios por causa da sua localização. A imponência do local encantava a população indígena que viveu em Torres naquela época!
Na Furna do Diamante, uma das cavernas esculpidas pelas ondas, existe o mito da Sereia do Diamante! Diz a lenda que a sereia guarda um grande tesouro escondido no fundo da caverna, oriundo das embarcações que naufragaram às margens das Furnas.
Para conquistar a riqueza da sereia, é preciso encontrá-la dentro da caverna e entregar um pente. Então, ela mostrará o caminho para o tesouro. Quem não tiver o pente, poderá encontrar a morte no labirinto da caverna. Em conversas de pescadores, reza a lenda que a mulher, metade peixe e metade humana, teria sido avistada várias vezes não só por embarcações, mas também por quem resolveu se aventurar pelo Morro das Furnas.
Na Praia da Guarita, tem um personagem que, vira e mexe, volta a ser comentado por quem garante ver seres ocultos na praia! O protetor das furnas e das falésias do local — um duende de barba longa que surge nos rochedos, vestindo roupas pomposas, que aparece e some sem explicação!
Ficou intrigado sobre todo esse lado “aterrorizante” da cidade? Aproveite os mistérios e se inspire para curtir ainda mais o Dia das Bruxas por aqui. Venha conferir de perto as lendas de Torres — quem sabe você não vê algo estranho? Fonte: Blog nossacasa – lendas-de-torres