Um verdadeiro santuário, um paraíso para a fauna local e aves migratórias que tem no Camarão Rosa sua iguaria preferida. O Parque Nacional da Lagoa do Peixe está localizado no litoral sul do estado do RS, abrangendo os municípios de Tavares (80%), Mostardas (17%) e São José do Norte (3%).

A estiagem que afeta o Rio Grande do Sul desde o final de 2021 e os ventos do quadrante nordeste provocaram a queda do volume da Lagoa do Peixe, parque nacional localizado em Mostardas, no litoral do Rio Grande do Sul. Em alguns pontos, a lagoa está seca e há mortandade de peixes.
O local é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “O ICMBio informa que está monitorando a situação do Parque Nacional da Lagoa do Peixe, que também está sendo afetado pela seca que atinge o sul do país”, afirmou o órgão.

Como é a Lagoa do Peixe em seu estado normal? Fotos/José Longhi

A Lagoa do Peixe está situada no litoral sul do estado do Rio Grande do Sul, no istmo formado pela Laguna dos Patos e o Oceano Atlântico, no território do município de Tavares, com seus extremos em 31º26′ S, 51º10′ W e 31º14’S, 50º54’W. Tecnicamente uma laguna, – pois tem um canal de comunicação com o mar durante a maior parte do ano – o espelho d’água de 35 km de extensão é ponto de encontro e verdadeiro “restaurante” para grandes concentrações de aves migratórias do hemisfério Norte (no verão) e Sul (no inverno), dentre elas as capororocas (Coscoroba coscoroba), os flamingos (Phoenicopterus ruber), os biguás, os maçaricos-de-peito-vermelho, as gaivotas, os talha-mares, os pirus-pirus, os trinta-réis, os maçaricos e o cisne-de-pescoço-preto (Cygnus melanocoryphus). Dentre os mamíferos podem ser avistados graxains, tatus e pequenos roedores.

O Parque não dispõe de infraestrutura de visitação, e é proibido acampar em sua área. Muito interessante é o passeio pela orla do mar ou da Laguna dos Patos, nas proximidades do parque, onde podem ser encontrados vestígios de diversos naufrágios e faróis que registram o grande perigo para os navegantes nesta parte do Rio Grande do Sul, dentre eles destacam-se o Farol de Mostardas e o Farol da Solidão na orla do Atlântico, e o Farol Cristóvão Pereira e o Farol Capão da Marca, às margens da Laguna dos Patos.

Acesso
Siga pela ERS 040 por 90 km de Porto Alegre até Capivari. Depois vá pela RSC 101 até Mostardas. Deste ponto são 12 km em uma estradinha de terra que chega à praia (trilha das dunas) e mais 33 km pela areia até a Barra da Lagoa. Também é possível percorrer este trajeto até Mostardas pela beira da praia, aventura garantida se as condições do mar forem favoráveis. Neste caso o acesso se dá seguindo pela ERS 040 até Balneário de Quintão, depois até Dunas Altas (Farol) onde há um acesso permitido pela beira da praia.

Informe-se
É possível entrar em contato antes para o Instituto Chico Mendes – http://www.icmbio.gov.br – e informar-se sobre as condições das estradas de acesso, pois quando a maré está cheia, não há condições de passar de carro pelo trecho da praia.
A melhor época para visitação é entre março e maio, e de outubro a novembro. Os municípios de Mostardas e Tavares possuem rede hoteleira.